Facebook

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

«A Paixão do Servo do Senhor»


Jesus fez-se servo do Pai, servindo os homens, todos os homens, enquanto os fazia seus servos, mas à condição de o serem voluntariamente.

Estamos a caminho da Páscoa e esta é uma altura em que se celebra a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Jesus Cristo. Por essa razão, convidamo-lo a descobrir «A Paixão do Servo do Senhor», obra que aborda essencialmente a temática da revelação profética da figura do Messias (Jesus Cristo), o enviado de Deus, prometido desde a fundação do Mundo.

O autor assenta a sua exposição no que escreveu Isaías, o maior de todos os profetas do Antigo Testamento, que anunciou, enfática e persistentemente, a redenção prometida, não como resultado do cumprimento rigoroso da Lei mosaica, mas como acto da graça de Deus. Em bom rigor, o próprio significado em hebraico do nome «Isaías» resumia perfeitamente toda a mensagem de que era portador e explanou ao longo de sessenta e seis capítulos: «O Senhor Salva». Não é, pois, despropositado falar dele como o profeta da redenção que rompeu as barreiras limitadas do povo escolhido, segundo a aliança divina com o patriarca Abraão, e anunciou a salvação aos povos do mundo, aos gentios sem excepção, através do «Servo do Senhor», a «luz das nações» ou, com traduz João Ferreira de Almeida, «luz dos gentios».

Nesse propósito claro, o profeta evidenciou a figura do Messias como garante das bênçãos prometidas aos que n’Ele confiassem, embora, na aparência, parecesse fraco por se manifestar numa atitude de completa humilhação.

«A paixão do Servo do Senhor» não é um comentário ao livro de Isaías, embora pudesse sê-lo. É muito mais do que isso: uma exposição empolgante deste «evangelho vetero-testamentário» e, acima de tudo, um apelo necessário e estimulante à vida cristã de todos aqueles que amam Cristo.

Leia as primeiras páginas aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário