Facebook

sábado, 17 de novembro de 2012

Elogio a «Manuel da Silva Moutinho - Um padrão da igreja biblica»



UM LIVRO TRANSVERSAL
“ Manuel da Silva Moutinho – Um Padrão da Igreja Bíblica” é, estruturalmente, vários livros sob um mesmo padrão: salvar para a memória histórica, sobretudo, a obra escrita do pastor evangélico irmão Moutinho, como era tratado nas diversas comunidades evangélicas onde desenvolveu o seu ministério de meio século. É um livro de memórias, que se espalham por 442 páginas, desde o texto propriamente dito às referências. É um livro de vida, da vida lida e da vida pregada.
Esta obra generosa, porque oriunda da generosidade do autor José Manuel Martins, não encomendada por ninguém, nem pela família do falecido, nem pelas Convenções e Comissões Pastorais a que pertenceu, nem sequer pelas igrejas onde serviu, é uma obra generosamente autónoma que se reparte por vários aspectos e facetas do trabalho cinquentenário do pr. Manuel Moutinho.
Reparte-se pela biografia escrita a dois tons, um prefacial narrativo, sem laudatório mas deixando correr o factor tempo que se encarrega de estabelecer os valores do que uma vida plena como a do pastor foi executando, o factor tempo e o modo como a acção pastoral foi sendo apreciada por terceiros. Não é tanto uma biografia ( “Não temos nesta obra, a pretensão de escrever a biografia de Manuel da Silva Moutinho”, pág.50 ), é um discorrer do tempo, como uma crónica subliminar e sem a secura das datas. Só a passagem da vida. Pormenores que compõem os valores de uma vida na história até da família e que passam a ser, simplesmente, documentos. ( “O vizinho bêbado ( o pai do futuro pastor), que batia na mulher e nos filhos...agora ia com eles ao culto( pág.17) )
O outro tom, também no registo biográfico, com observações interpretativas do autor, é o do desenvolvimento do contributo do legado doutrinário do pastor Moutinho, com o qual se inicia o capítulo I da obra.
Tal contributo inicia-se de um modo invulgar, porquanto o início do narrado pelo autor JMM dá-nos uma nota da humildade. “ O pastor Manuel da Silva Moutinho assumiu não pertencer ao grupo dos obreiros melhor preparados em teologia, homilético ou cultura universal “ (pág. 57)
 É assim que os grandes homens se ultrapassam a si próprios.
Do ponto de vista da editora “Letras d'Ouro”, que prossegue natural e legitimamente recuperar o investimento, e do autor que deseja ser lido, este livro é, para além de tudo isso, uma obra de gratidão e de bondade.

© JTP


Sem comentários:

Enviar um comentário